Justiça apreende carros de luxo e obra de arte na casa de Ronaldinho Gaúcho

Residência fica no bairro Cavalhada Ministério Público / Divulgação

A Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Porto Alegre acompanhou na manhã desta quarta-feira o cumprimento de mandados de busca e apreensão de bens em uma residência da família Moreira, do ex-jogador Ronaldinho Gaúcho e do empresário Roberto de Assis Moreira, no bairro Cavalhada, na zona Sul da Capital.

Foram  apreendidos dois veículos BMWs e uma Mercedes, além de uma pintura do artista paulista André Berardo. Além destes, foram arrolados diversos bens com valor econômico como televisores, mesas de snooker, pebolim e outros.

A ação tem como objetivo recuperar valores referentes a uma multa por crime ambiental e indenizações pela colocação de um trapiche em uma propriedade na zona Sul da Capital. O valor gira em torno de R$ 8,5 milhões. Em 2007, Assis Moreira e o Instituto Ronaldinho Gaúcho realizaram uma série de intervenções em duas áreas localizadas na Avenida Edgar Pires de Castro, número 120 e 4443, a primeira voltada à sede do Instituto Ronaldinho Gaúcho e a segunda planejada para sediar o Centro Ronaldinho Gaúcho. Para iniciar as obras, os réus, que também respondem na esfera criminal, cortaram mata nativa, realizaram drenagens e movimentaram terras sem licença dos órgãos ambientais. Para reparar e compensar os danos, os dois réus assumiram obrigações, entre elas, doar uma área de 22 hectares para o Município de Porto Alegre.

No local seria instalada a Unidade de Conservação do Morro São Pedro, onde seria criada uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN). Porém, nenhuma obrigação foi cumprida e o MP promoveu execuções junto ao Foro Regional da Restinga, em Porto Alegre.

 

COMPARTILHAR