MP do RS faz operação contra desvio de dinheiro no Internacional na gestão Píffero

Operação investiga desvio de dinheiro no Inter na gestão de Vitório Píffero. Foto: Ministério Público/Divulgação

A Polícia Cívil faz operação nesta manhã de quinta-feira(20), cumpre mandados de busca e apreensão para investigar apropriação e desvio de valores do Inter. São 20 mandados para apurar crimes que teriam ocorrido durante a gestão 2015 / 2016, época em que o clube era comandado pelo então presidente Vitorio Piffero. Residências e sedes de empresas em Porto Alegre, Eldorado e Viamão são alvos da operação.

A operação desta quinta-feira investiga outros dirigentes que estavam no clube,além de Píffero. Um deles é Pedro Antonio Affatato, que acumulava a 1ª Vice-presidência e a Vice Presidência de Finanças. Alexandre Silveira Limeira, que era vice-presidente de Administração, Emídio Marques Ferreira, vice-presidente de Patrimônio, Marcelo Domingues de Freitas e Castro, vice-presidente Jurídico, e Carlos Capparelli Pellegrini, que atuava como vice-presidente de Futebol também fazem parte da lista de investigados. Também são apuradas as condutas de empresários de futebol, além de pessoas vinculadas a empresas de construção civil, de turismo e de contabilidade.

As investigações apontam que a principal  fonte de fraudes e desvios ocorridos dentro do Inter teria sido feita a partir da retirada de valores em espécie da tesouraria do clube. Os recursos foram usados sob a alegação de que serviriam para o pagamento de obras para empresas de construção civil e prestação de serviços, algo chamado de adiantamento.

Teriam sido retirados cerca de R$ 10 milhões entre fevereiro de 2015 e fevereiro de 2016. Os saques diários eram comprovados por meio de notas fiscais emitidas a título de obras que não foram realizadas, ainda que tenham sido atestadas ou então teriam sido superfaturadas. A análise técnica dos promotores encontrou 165 notas oriundas de nove empresas e pelo menos 94% revelaram obras não executadas, executadas parcialmente ou concluídas com sobrepreço.

Dentro da gestão do futebol do clube, os promotores descobriram que negociações e renovações com atletas, que normalmente não seriam realizadas nos patamares econômicos constatados, foram efetivadas. o dirigente responsável pela pasta teria recebido um repasse de valores. Ele ainda teria recebido recompensas de empresários baseadas nas tratativas relacionadas a jogadores.

Também esta sendo investigado o desvio de valores em acordos trabalhistas firmados com atletas, além de outros negócios relacionados ao clube por meio de triangulações de depósitos que envolveram diversas empresas. Uma dessas companhias teria realizado depósitos para três dirigentes que são alvos da investigação. Em alguns casos, os benefícios foram dados antes mesmo de assumirem a gestão no Inter.

Quer receber A Folha do Litoral no seu e-mail?

Cadastre seu nome e e-mail e receba a edição semanal do jornal A Folha do Litoral para ler no seu tablet, smartphone ou na web.

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

COMPARTILHAR