Mais eficientes, novas tornozeleiras eletrônicas começam a ser utilizadas na Região Central

Até o fim de outubro, todas as trocas devem estar concluídas na Região Central Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini / Arquivo

A Secretaria da Administração Penitenciária (Seapen) e Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), iniciaram, nesta terça-feira (8/10), no Instituto Penal de Santa Maria, a utilização do primeiro lote das novas tornozeleiras eletrônicas.

Conforme o delegado penitenciário da 2ª Delegacia Regional Penitenciária (DPR), Anderson Prochnow, serão substituídos 50 dispositivos. Até o fim de outubro todas as trocas devem estar concluídas. Atualmente, 144 pessoas privadas de liberdade são monitoradas eletronicamente na Região Central do Estado. “Isso possibilita o retorno do apenado ao convívio familia, de forma gradual”, disse Prochnow.

A nova tornozeleira, da empresa Geo Rastreamento, é produzida com um material mais rígido e suporta até 500 kgf (quilograma força), eliminando, assim, qualquer dúvida quanto ao rompimento doloso por parte do apenado ou da apenada. A bateria tem duração de até 24 horas.

O Instituto Penal de Monitoramento de Santa Maria passou por reforma completa, com recursos oriundos do Poder Judiciário, do Ministério Público e da Delegacia Penitenciária Regional, proporcionando, assim, um aumento no número de monitorados e melhores condições de trabalho para os seus operadores. A mão de obra utilizada para a reforma foi prisional.

Texto: Ascom Susepe
Edição: Marcelo Flach/Secom

Quer receber A Folha do Litoral no seu e-mail?

Cadastre seu nome e e-mail e receba a edição semanal do jornal A Folha do Litoral para ler no seu tablet, smartphone ou na web.

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

COMPARTILHAR