Leite antecipa encontro do governo com Cpers para esta terça, dia 7

Governador reuniu-se com secretário Faisal, procurador-geral Eduardo Cunha da Costa, secretária Leany e integrantes da Seduc.

Em reunião com o secretário da Educação, Faisal Karam, e representantes da pasta, juntamente com o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa, e a secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos, o governador Eduardo Leite decidiu antecipar o encontro com o Cpers-Sindicato para esta terça-feira (7/1), às 11h.  Eles serão recebidos pelo secretário Faisal e pelo procurador-geral no gabinete da Seduc.

O governo atende a uma reivindicação da categoria, que foi recebida por representantes do governo no Palácio Piratini na última quinta-feira (2/1). Até então, a conversa para tratar sobre a greve do Magistério estava prevista para a sexta-feira (10/1).

“Desde o início da gestão, estivemos abertos ao diálogo com todas as categorias de servidores e seguiremos agindo dessa forma. Por isso, ouviremos as demandas dos professores e apresentaremos os nossos argumentos com relação aos impactos negativos que essa paralisação tem na sociedade, especialmente dos alunos”, disse Leite.

Ainda no encontro, realizado na sede da Seduc, o governador determinou a publicação de um decreto que garanta a emissão de certidões provisórias para alunos do 9° ano do Ensino Fundamental e do 3° ano do Ensino Médio para que não tenham prejuízo em matrículas em cursos técnicos ou superiores.

A partir disso, a secretaria começou a organizar, com as Coordenadorias Regionais de Educação (CRE), formas de autorizar e emitir os certificados de conclusão das etapas e modalidades da educação básica, nos termos da legislação vigente, em caráter excepcional, considerando a greve. A medida é válida para alunos devidamente matriculados nas escolas, com frequência regular e nota de acordo com o estabelecido pelo regimento escolar da unidade.

Calendário escolar

Faisal destacou, ainda, que, no dia 19 de dezembro foi emitido, para todas as Coordenadorias Regionais de Educação (CRE), orientação sobre a elaboração do calendário de reposição das aulas nas escolas estaduais que aderiram à greve dos professores.

Ao todo, foram 25 dias de paralisação, entre 14 de novembro e 19 de dezembro. A ação tem o objetivo de garantir aos estudantes o direito de, no mínimo, 200 dias letivos e assegurar a carga horária de 800 horas para o Ensino Fundamental e mil horas para o Ensino Médio.

No memorando circular nº 22/ 2019, a Seduc sugeriu que o calendário de recuperação das aulas ocorresse entre os dias 21 de dezembro e 23 de janeiro. As férias docentes, no caso, devem ocorrer após a recuperação e foram sugeridas para que ocorram entre 24 de janeiro e 22 de fevereiro.

Conforme o balanço mais recente da Seduc, permanecem em greve 132 escolas de um total de 2,5 mil instituições estaduais.

Texto: Vanessa Kannenberg
Edição: Marcelo Flach/Secom
Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Quer receber A Folha do Litoral no seu e-mail?

Cadastre seu nome e e-mail e receba a edição semanal do jornal A Folha do Litoral para ler no seu tablet, smartphone ou na web.

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

COMPARTILHAR