Em reunião, Bolsonaro cria comitê para combate da pandemia

Reunião entre o presidente Jair Bolsonaro e presidentes de poderes criaram comitê para combater a pandemia da Covid 19. Reprodução/ A Folha do Litoral

Um pacto entre os poderes da República foi firmado, nesta quarta-feira (24), em um encontro entre o presidente Jair Bolsonaro com os presidentes do Legislativo, Judiciário e Tribunal de Contas, com a presença de governadores. No encontro, foi criado um comitê com os representantes de cada poder, para traçar uma estratégia articulada na crise sanitária.

Adotando o mesmo tom que usou no seu pronunciamento na noite desta terça (23), que contrasta com o discurso adotado desde o início da pandemia, quando desaconselhou o uso de máscara e o distanciamento e desacreditou a vacina, Bolsonaro pregou a união entre os poderes. “Uma reunião bastante proveitosa. Mais do que a harmonia, imperou a solidariedade e a intenção de minimizarmos os efeitos da pandemia. A vida em primeiro lugar”, declarou.

A gravidade das variantes do vírus foi destacada por Bolsonaro. “Uma nova cepa, um novo vírus pareceu e nós obviamente nos preocupamos para dar um tratamento adequado a essas pessoas”, disse, conclamando a união entre os poderes como o caminho para o País enfrentar a pandemia.

O segundo a se pronunciar foi o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que elogiou o que foi encaminhado no encontro. “Participamos de uma reunião de alto nível. A conclusão é o fortalecimento do Sistema Único de Saúde e a articulação dos três níveis da União”, afirmou. Segundo Queiroga, essa organização conjunta vai prover com agilidade uma campanha de vacinação mais eficiente.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) estava afinado com os discursos dos que o antecederam, pedindo harmonia no enfrentamento da doença. “O momento impõe o dever cívico, patriótico e de responsabilidade a união. Essa união significa um pacto nacional liderado por quem a sociedade espera que lidere, que é o senhor presidente da República, Jair Bolsonaro, já com a compreensão de que medidas precisam ser tomadas, destacou.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP) adotou um discurso de conciliação, pedindo a despolitização do combate ao coronavírus.

“A união de todos para que nós consigamos comunicar melhor, despolirtizar a pandemia, desarmar os espítiot e tratarmos o problema como de todos nós, um problema nacional”, ponderou.

De acordo com o ministro Luiz Fux, presidente do STF, por sua natureza, o poder judiciário não pode participar diretamente desse comitê. Contudo, “com os problemas da pandemia que exigem soluções rápidas, vamos traçar estratégias para evitar a judicialização”, explicou.

 

COMPARTILHAR