Apreensão e desinformação marcam fim dos pedágios da Concepa

Motoristas aprovam fim da cobrança, enquanto cerca de 400 funcionários perderão emprego

Desinformação e clima de apreensão entre os funcionários da Triunfo Concepa marcaram a abertura das cancelas das praças de pedágios administradas pela concessionária na noite desta terça-feira. No pedágio de Gravataí, na BR 290, a freeway, a passagem de veículos foi liberada sem cobrança de tarifa a partir das 18h30min. Motoristas de caminhões e carros comemoraram a decisão com buzinaços. A Concepa prometeu manter serviços até as 23h59min desta terça-feira.

A abertura das cancelas – que envolveu ainda os postos Santo Antônio da Patrulha e Eldorado do Sul – encerrou 21 anos de administração das rodovias pela empresa, que foi a primeira concessão rodoviária federal do Estado. Com o fim do contrato, a partir de agora, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) será responsável pela freeway até que haja um novo leilão da rodovia, previsto para novembro. A Concepa administrava 121 quilômetros de rodovias duplicadas.

Sem saber os desdobramentos da decisão da empresa de não renovar contrato, funcionários da Concepa – com esperança de que um fato novo possa mudar o seu destino profissional – evitavam dar entrevistas na praça de Gravataí. Orientados por um servidor do posto de pedágios, dezenas de pessoas permaneceram no local sem saber o que fazer, enquanto quatro funcionários se revezavam para orientar motoristas a passarem sem parar. Cerca de 400 pessoas serão demitidas a partir desta quarta-feira.

Roger Fumagalli soube da notícia por meio de mensagem da namorada Camila. O empresário, que mora em Santa Maria, vai a Santa Catarina pelo menos duas vezes por mês, onde faz mestrado na UFSC. Para fazer tanto o trajeto de ida quanto de volta, Fumagalli passa pelas praças de pedágio de Gravataí e Eldorado do Sul. “Gasto cerca de R$ 40 por mês, se considerar uma viagem a cada 15 dias. No ano, são quase R$ 500. Esse valor faz toda diferença, ainda mais com o preço elevado do combustível”, avaliou.

Otávio José Santos, que faz o trajeto Curitiba-Porto Alegre pelo menos uma vez por semana, desconhecia a informação de que os pedágios deixariam de ser cobrados nas praças. O caminhoneiro sequer notou a ausência de cobrança ao passar pela cancela. “Como tenho o dispositivo Sem Parar instalado no caminhão, que aciona o levantamento da cancela, nem percebi que já estavam abertas”, contou. Santos é empregado de uma transportadora de bebidas e pagava R$ 7 por cada eixo. Ao todo, pelos seis eixos, ele desembolsava R$ 42. “É uma boa notícia.”

Na praça de pedágios de Eldorado do Sul e de Santo Antônio da Patrulha, os motoristas de veículos de dois eixos pagavam R$ 7,10. Em Gravataí, o valor era de R$ 3,50.

Triunfo Concepa se coloca à disposição para negociar

Em nota, a Triunfo Concepa afirmou que está à disposição para negociações da extensão do contrato de concessão, “desde que não haja alteração do regime jurídico estabelecido no contrato e no 14º termo aditivo – que estendeu a concessão em mais um ano em julho de 2017”. E acrescentou que a proposta inicialmente apresentada pela agência reguladora não foi aceita pela concessionária por, entre outras questões, propor a revisão dos valores da tarifa praticados durante a extensão do contrato no momento vigente.

Com informações do portal de notícias CP.

Quer receber A Folha do Litoral no seu e-mail?

Cadastre seu nome e e-mail e receba a edição semanal do jornal A Folha do Litoral para ler no seu tablet, smartphone ou na web.

Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

COMPARTILHAR